O mundo se volta para Bangu nos 80 anos de Hermeto Pascoal

Hermeto Pascoal e Itiberê em Bangu Foto: Bruno Gonzalez

Hermeto Pascoal e Itiberê em Bangu, em junho de 2012 Foto: Bruno Gonzalez

Hermeto Pascoal voltou a morar em Bangu. E é para o tradicional bairro da Zona Oeste do Rio que o mundo hoje volta suas atenções. É o aniversário de 80 anos de Hermeto, cuja comemoração será na Areninha Carioca que leva seu nome, no local em que passou mais de três décadas e agora retorna para viver com o filho, o percussionista Fábio Pascoal.

Numa tarde de 2012, fomos a Bangu encontrar Hermeto e o contrabaixista Itiberê Zwarg. Estávamos o fotógrafo Bruno Gonzalez e eu. Conversamos sobre a comunidade musical que se formou ao redor de Hermeto, quando, na década de 80, jovens de diferentes regiões do estado e do país fixaram moradia em Bangu.

O Portal Coisas da Música relembra algumas informações colhidas na época:

Rotina de ensaios

Os ensaios aconteciam todas as tardes, na Rua Victor Guizard, e reuniam Hermeto Pascoal, Itiberê Zwarg, Carlos Malta, Márcio Bahia, Jovino dos Santos e Pernambuco. Era como uma usina musical, fértil em experimentações.

– Aqueles ensaios foram uma escola para mim. A maior resposta para o que você ensina é o que você aprende. No grupo, eu tinha a percepção de todos eles e os diálogos musicais eram muito enriquecedores – lembra Hermeto.

“A maior resposta para o que você ensina é o que você aprende”

O primeiro a chegar a Bangu foi o paulista Itiberê Zwarg. Quando precisou de contrabaixista, Hermeto lembrou-se do jovem que o havia impressionado na boate Stardust, em São Paulo, e passou a mão no telefone. Era o ano de 1977, e Itiberê estava com 27 anos.

– Ele me ligou por volta das 12h e, às 16h, eu estava tocando a campainha do Hermeto em Bangu. Naquela época, passava até boiada em frente à casa dele – conta Itiberê, que morou por oito meses na casa de Hermeto até alugar uma casa na Rua Marinho Rêgo, no mesmo bairro.

Família

Se os filhos de Itiberê nasceram em Bangu, as filhas do saxofonista Carlos Malta, que transferiu-se para a Zona Oeste em 1981, aos 20 anos, foram criadas por lá.

– Todos os dias o (baterista) Márcio Bahia saía de Niterói e me buscava no Flamengo para irmos ensaiar. Com a grana que gastávamos de gasolina, alugamos uma casa na Rua Zopino Goulart – diz Malta.

O pianista Jovino dos Santos, de Realengo, também foi morar na Victor Guizard. Já o percussionista Pernambuco, morto em 2010, vinha de Madureira, na Zona Norte da cidade.

Foi assim a formação do grupo que colocou Bangu no mapa da arte mundial, sob a chancela da música universal.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *